10 Conflitos Principais

OS 10 PRINCIPAIS CONFLITOS DA ATUALIDADE QUE MERECEM ATENÇÃO

(Bulent Kilic/AFP)

O Conselho de Relações Exteriores (CFR, na sigla em inglês), organização política independente dos Estados Unidos, divulgou o seu relatório anual dos conflitos que podem mexer com o mundo. Em 2016, o CFR consultou o público em geral sobre os potenciais conflitos que podem eclodir ou se intensificar no ano. Em seguida, convidou funcionários do governo, acadêmicos e especialistas em política externa para classificá-los em ordem de prioridade (alta, moderada e baixa). Das contingências classificadas como ‘alta prioridade’, a maior parte está relacionada aos acontecimentos em curso no Oriente Médio. A intensificação da guerra civil na Síria foi classificada como de grande impacto para o mundo. Vejamos os conflitos que podem abalar ainda mais o mundo, segundo o relatório:

1. Síria

(Freedom House/Flickr/Creative Commons)

Impacto: alto
O conflito de maior impacto em 2016 é a intensificação da guerra civil na Síria resultante do aumento do apoio externo às partes beligerantes, inclusive intervenção militar de potências. Tanto os Estados Unidos apoiando os rebeldes quanto a Rússia que apoia o ditador Bashar Al Assad tem interesses estratégicos na região, e correndo por fora aproveitando-se da instabilidade vem o I.S.I.S com a ideia repugnante e não menos opressiva de fundar um Estado Islâmico na região.

 

2. Coreia do Norte

Impacto: alto

Outra preocupação é a eclosão de uma crise severa com/ou na Coreia do Norte causada por mísseis, armamento nuclear, testes balísticos, alguma provocação militar, ou, ainda, devido à instabilidade política com o Japão e Coréia do Sul, fortes aliados americanos. Rússia e China são aliados norte-coreanos.

3. Refugiados na Europa

Impacto: alto

Um ponto de atenção constante é o risco de instabilidade política nos países da União Europeia decorrentes tanto do grande fluxo de refugiados e imigrantes, como de crescentes agitações da sociedade civil, ataques terroristas isolados, ou ainda da violência contra refugiados e imigrantes.

 

4. Fratura política na Líbia

Impacto: moderado

Contínua fratura política na Líbia, com intensificação da violência e mais intervenção militar por parte dos Estados Árabes.

 

5. Israel

Impacto: moderado

Aumento das tensões entre Israel e os territórios palestinos, difundindo protestos, ataques contra civis e confrontos armados.

 

6. Conflitos no continente Africano

Impacto: Alto

O continente africano é palco de uma série de conflitos, consequência da intervenção colonialista, principalmente no fim do século XIX e início do século XX. Esse processo de intervenção interferiu diretamente nas condições políticas, econômicas e sociais da população africana.

A divisão territorial do continente teve como critério apenas os interesses dos colonizadores europeus, desprezando as diferenças étnicas e culturais da população local. Diversas comunidades, muitas vezes rivais, que historicamente viviam em conflito, foram colocadas em um mesmo território, enquanto grupos de uma mesma etnia foram separados.

Após a Segunda Guerra Mundial, ocorreu um intenso processo de independência das nações africanas. Porém, novos países se formaram sobre a mesma base territorial construída pelos colonizadores europeus, desrespeitando a cultura e a história das comunidades, consequentemente inúmeros conflitos étnicos pela disputa de poder foram desencadeados no interior desses países.

Outro fator agravante para o surgimento desses conflitos na África se refere ao baixo nível socioeconômico de muitos países e à instalação de governos ditatoriais. Durante a Guerra Fria, que envolveu os Estados Unidos e a União Soviética, ocorreu o financiamento de armamentos para os países africanos, fornecendo aparato técnico e financeiro para os distintos grupos de guerrilheiros, que muitas vezes possuíam – e ainda possuem – crianças que são forçadas, através de uma manipulação ideológica, a odiarem os diferentes grupos étnicos.

São vários os conflitos no continente africano; o que é pior, muitos deles estão longe de um processo de pacificação. A maioria é motivada por diferenças étnicas, é o que acontece em Ruanda, Mali, Senegal, Burundi, Libéria, Congo e Somália, por exemplo. Outros por disputas territoriais como Serra Leoa, Somália e Etiópia; questões religiosas também geram conflitos, é o que acontece na Argélia e no Sudão. Além de tantas políticas ditatoriais instaladas, a que teve maior repercussão foi o apartheid na África do Sul – política de segregação racial que foi oficializada em 1948, com a chegada ao poder do Novo Partido Nacional (NNP). O apartheid não permitia o acesso dos negros às urnas, além de não poderem adquirir terras na maior parte do país, obrigando os negros a viverem em zonas residenciais segregadas, uma espécie de confinamento geográfico.

Deve-se haver a intervenção de organismos internacionais para que esse e outros problemas do continente africano (aids, fome, economia, saúde, etc.) sejam amenizados, pois esse processo é consequência das políticas colonialistas dos países desenvolvidos, que após sugarem a riqueza desse povo, abandonaram o continente, deixando uma verdadeira mazela.

7. Turquia

Impacto: moderado

Intensificação da violência política na Turquia envolvendo vários grupos curdos e Forças de segurança turcas, exacerbada pelo transbordamento da guerra civil síria.

8. Tensões no Egito

Impacto: moderado

Aumento da instabilidade política no Egito, incluindo ataques terroristas, particularmente na Península do Sinai.

9. Afeganistão

Impacto: moderado

Aumento da violência e instabilidade no Afeganistão resultante do fortalecimento da insurgência talibã.

10. Estado Islâmico

Impacto: Alto

Contínua divisão do Iraque devido a ganhos territoriais pelos extremistas do Estado islâmico, acompanhada da violência sectária entre sunitas e xiitas e o domínio em outros territórios da Síria.