Hidrografia


Grandes bacias

O Estado de Santa Catarina é representado por dois sistemas de drenagem: o sistema integrado do interior (bacia do Prata), comandado pelas bacias dos rios Paraná e Uruguai, e o sistema da vertente do Atlântico (litoral catarinense), formado por um conjunto de bacias isoladas.

A Serra Geral é o grande divisor das águas que drenam para os rios Uruguai e Iguaçu e das que se dirigem para o litoral catarinense, no oceano Atlântico. No norte do estado, a Serra do Mar também serve como divisor entre a bacia do rio Iguaçu e as bacias da vertente atlântica.

O sistema de drenagem da vertente do interior ocupa uma área aproximada de 60.185 quilômetros quadrados, que corresponde a 63% do território, sendo que a  bacia do rio Uruguai corresponde a 49.577 quilômetros quadrados. Esta bacia apresenta afluentes importantes como os rios: Peperi-Guaçu, das Antas, Chapecó, Irani, Jacutinga, do Peixe, Canoas e Pelotas. Outra bacia que faz parte do mesmo sistema é a do rio Iguaçu, sendo seus principais afluentes os rios Jangada e Negro (limite com o Estado do Paraná), Timbó e Paciência.

riossc

A vertente do Atlântico abrange aproximadamente 32.291 km², ou seja, 37% da área total do estado, com destaque para o rio Itajaí-Açu, que conta com dois grandes formadores: os rios Itajaí do Sul e o rio Itajaí do Oeste, e com dois grandes tributários: os rios Itajaí do Norte ou Hercílio e o Itajaí-Mirim, formando, assim, a maior bacia inteiramente catarinense.

Ainda na vertente do Atlântico, existem outras bacias como as dos rios Tubarão, Araranguá, Itapocu, Tijucas, Mampituba (divisa com o estado do Rio Grande do Sul), Urussanga, Cubatão do Norte, Cubatão do Sul e d’Una.

Os rios de Santa Catarina são normalmente comandados pelo regime pluviométrico.
O processo de degradação dos recursos hídricos no território catarinense, vem se desenvolvendo de forma alarmante. Os locais mais poluídos são o sul do Estado (devido à mineração do carvão), o norte (devido à utilização de metais pesados pelas indústrias), e no meio-oeste (com as indústrias de pasta mecânica e efluentes urbanos).

sc_hidro2

Rio Sangão poluído

Rio Mãe Luzia (Sangão), afluente do Rio Araranguá, super poluído pelos rejeitos das minas de carvão.

5-Bacia Rio Araranguá

HIDROLOGIA:

Água potável

 

O Caminho Percorrido pelas Águas

A maioria das pessoas desconhece o longo caminho percorrido pela água até ela chegar a suas torneiras. A água, antes de chegar aos reservatórios das nossas casas, é captada na superfície. Passa, então, por uma série de etapas de tratamento, com o objetivo de purificá-la para o consumo.

As águas retiradas da superfície são tratadas nas chamadas ETAs – Estações de Tratamento de Água. Podemos dizer que essas etapas de tratamento consistem em quatro fases básicas: coagulação, decantação, filtração e desinfecção.

Confira os itens:

Coagulação

Nessa fase é adicionado à água bruta, um produto químico chamado de sulfato de alumínio. O sulfato provoca uma atração entre as impurezas em suspensão na água, formando pequenos blocos.

Decantação

Nessa fase os flocos vão ficando mais pesados, se depositando no fundo dos tanques, tornando então a água mais clara e com um melhor aspecto.

Filtração

Nessa fase a água passa através de substâncias porosas (areia, carvão) capazes de reter os flocos em suspensão que não decantaram, bem como as bactérias e demais impurezas presentes na água.

Desinfecção

Nessa fase é adicionado o cloro (hipoclorito de sódio), que tem a propriedade de eliminar as bactérias que ainda conseguiram passar pelos filtros. Essas bactérias, que são pequeninos seres vivos, muito dos quais nos causam graves doenças, são mortos pela ação do cloro.

Complementando o tratamento, é adicionado sal de flúor, para prevenir a cárie dental infantil e cal hidratada, para corrigir a acidez da água. Após essas quatro etapas, a água tratada é bombeada e, por meio de uma tubulação denominada de adutora de água tratada, é conduzida a um grande reservatório, para garantir a reserva de água da cidade.

Entenda os Principais Parâmetros Analisados

A Portaria 518/04 define parâmetros e limites – cuja fiscalização cabe à vigilância sanitária do município.

Cloro

Agente químico utilizado para eliminar micro-organismos e conservar a água isenta dos mesmos até a chegada nos domicílios.

Cor

Indica presença de partículas dissolvidas na água. Parâmetro de aspecto estético de aceitação ou rejeição do produto.

Turbidez

É a medição da resistência da água à passagem de luz. É provocada pela presença de material fino em suspensão na água. Parâmetro de aspecto estético de aceitação ou rejeição do produto.

pH

É uma medida que estabelece a condição ácida ou alcalina de uma água. É um parâmetro de caráter operacional que deve ser acompanhado para otimizar os processos de tratamento e preservar contra corrosões ou entupimentos das tubulações do sistema de distribuição.

Coliformes

É um grupo de bactérias que normalmente vivem no intestino de animais de sangue quente, embora alguns tipos possam ser encontrados também no meio ambiente. É uma análise utilizada como indicadora de possível contaminação microbiológica.

Referências: Mapas escaneados do acervo impresso do Comitê da Bacia Hidrográfica do Rio Araranguá. Mais informações em www.aguas.sc.gov.br