Geografia de SC

santa catarina

A diversidade geográfica e humana de Santa Catarina é surpreendente para um território de apenas 95,4 mil km², o menor Estado do Sul do Brasil. Uma viagem de poucas horas de carro é suficiente para experimentar mudanças radicais no clima, na paisagem, nos sotaques e culturas. O Estado é dividido em oito principais regiões: Litoral, Nordeste, Planalto Norte, Vale do Itajaí, Planalto Serrano, Sul, Meio-Oeste e Oeste.

Santa Catarina fica no centro geográfico das regiões de maior desempenho econômico do país, Sul e Sudeste, e em uma posição estratégica no Mercosul. O Estado faz fronteira com o Paraná (ao Norte), Rio Grande do Sul (ao Sul), Oceano Atlântico (Leste) e Argentina (Oeste).  O horário é o de Brasilía (DF). Uma vez por ano – geralmente entre outubro e fevereiro – adota-se o horário de verão, quando os relógios são adiantados uma hora para poupar energia.

O clima subtropical úmido, predominante em SC, proporciona temperaturas agradáveis, que variam de 13 a 25° C, com chuvas distribuídas durante todo o ano. Ao contrário da maior parte do território brasileiro, aqui as quatro estações são bem definidas. Os verões são quentes e ensolarados. E no inverno, a região do Planalto Serrano, com altitudes que atingem 1.820 metros, é onde há a maior ocorrência de neve no Brasil. A vegetação é variada, sendo encontrados mangues, restingas, praias, dunas e Mata Atlântica.

O Estado tem 295 municípios e a Capital é Florianópolis. Entre as maiores cidades, destacam-se Joinville, Blumenau, Itajaí, Balneário Camboriú, Chapecó, Criciúma, Lages e Jaraguá do Sul.

 

Vídeo publicidade sobre o Estado de Santa Catarina:

 

 

Santa Catarina está dividida em seis mesorregiões que está subdividida em vinte microrregiões. As mesorregiões são: 1. Grande Florianópolis (leste); 2. Norte Catarinense; 3. Oeste Catarinense;  4. Serrana (planalto); 5. Sul Catarinense; 6. Vale do Itajaí.

Mesoregioes-de-santa-catarina

 

As microrregiões são:

  1. Araranguá;2. Blumenau; 3. Campos de  Lages; 4. Canoinhas; 5. Chapecó; 6. Concórdia; 7. Criciúma;  8Curitibanos;  9. Florianópolis;  10. Itajaí;   11. Ituporanga;  12.Joaçaba;  13. Joinville; 14. Rio do Sul;  15. São Bento do Sul; 16. São Miguel do Oeste;  17. Tabuleiro;  18. Tijucas; 19. Tubarão; 20.Xanxerê.

 

Em Santa Catarina há oito regiões metropolitanas, que são:

1. Região Metropolitana Carbonífera: criada pela Lei Complementar Estadual N° 381 e reinstituída pela Lei Complementar Estadual n° 495 de 2010, reúne sete municípios do chamado Núcleo Metropolitano e três municípios da denominada Área de Expansão Carbonífera. Os municípios da Área de Expansão Carbonífera são: Lauro Müller, Treviso e Urussanga. Os municípios do Núcleo Metropolitano são: Cocal do Sul, Criciúma, Forquilhinha, Içara, Morro da Fumaça, Nova Veneza e Siderópolis.

2. Região Metropolitana de Florianópoliscriada pela Lei Complementar Estadual N° 162 de 1998, foi extinta pela Lei Complementar Estadual n° 381 de 2007 e reinstituída pela Lei Complementar Estadual n° 495 de 2010.

Tendo como sede a cidade de Florianópolis, capital do estado, essa região metropolitana possui uma área de 7.114,101 km² e, segundo o censo do IBGE (2010) a população é de 1.012.831 habitantes.
Os municípios que compõem essa região metropolitana são: Florianópolis, São José, Palhoça, Biguaçu, Santo Amaro da Imperatriz, Governador Celso Ramos, Antônio Carlos, Águas Mornas e São Pedro de Alcântara.

3. Região Metropolitana de Chapecócriada pela Lei Complementar Estadual N° 377, de 4 de abril de 2007, é composta pelo Núcleo Metropolitano (que reúne dezesseis municípios) e pela Área de Expansão Metropolitana (que reúne nove municípios). Os municípios que compõem o Núcleo Metropolitano  são: Chapecó, Xanxerê, Xaxim, Arvoredo, Paial, Seara, Guatambu, Planalto Alegre, Nova Itaberaba, Coronel Freitas, Pinhalzinho, Águas Frias, Nova Erechim, Águas de Chapecó, Saudades e São Carlos. A Área de Expansão Metropolitana é formada pelos seguintes municípios: Itá, Xavantina, Faxinal dos Guedes, Marema, Quilombo, União do Oeste, Caxambu do Sul, Palmitos e Cunhataí. De acordo com o censo do IBGE (2010), a população dessa região metropolitana é de 403.408 habitantes distribuídos por uma área de 4.938,15 km².

4. Região Metropolitana do Vale do Itajaícriada pela Lei Complementar Estadual N° 162 de 1998, foi extinta pela Lei Complementar Estadual N° 381 de 2007 e restituída pela Lei Complementar Estadual N° 495 de 2010. O Núcleo Metropolitano é composto pelos seguintes municípios: Blumenau, Gaspar, Indaial, Pomerode e Timbó. A Área de Expansão Metropolitana é composta por: Apiúna, Ascurra, Benedito Novo, Botuverá, Brusque, Doutor Pedrinho, Guabiruba, Ilhota, Luiz Alves, Rio dos Cedros e Rodeio. Essa região metropolitana possui uma área de 5.006,417 km² e, segundo o censo do IBGE (2010), conta com uma população de 689.909 habitantes.

5. Região Metropolitana Foz do Rio Itajaícriada pela Lei Complementar Estadual Nº 221 de 2002, foi extinta pela Lei Complementar Estadual Nº 381 de 2007 e reinstituída pela Lei Complementar Estadual Nº 495 de 2010. O Núcleo Metropolitano é composto por cinco municípios: Balneário Camboriú, Camboriú, Itajaí, Navegantes e Penha. A Área de Expansão Metropolitana é composta por quatro municípios: Bombinhas, Itapema, Balneário Piçarras e Porto Belo. Essa região metropolitana possui uma área de 906,761 km² e, de acordo com o censo do IBGE (2010), sua população é de 515.756 habitantes.
As principais atividades econômicas da região apoiam-se no comércio sustentado pelo turismo. Nessa região, o fluxo de turistas pode superar a marca de 1,5 milhão, alcançada na alta temporada do verão, principalmente no município de Balneário Camboriú. Outra principal atividade é a construção civil, que alavanca o setor imobiliário da região.

6. Região Metropolitana do Norte/Nordeste Catarinensecriada pela Lei Complementar Estadual Nº 162 de 1998, foi extinta pela Lei Complementar Estadual Nº 381 de 2007 e reinstituída pela Lei Complementar Estadual Nº 495 de 2010. Tem como sede a cidade de Joinville. O Núcleo Metropolitano é composto por Joinville e Araraqui e a Área de Expansão Metropolitana é composta por: Balneário Barra do Sul, Barra Velha, Campo Alegre, Corupá, Garuva, Guaramirim, Itaiópolis, Itapoá, Jaraguá do Sul, Mafra, Massaranduba, Monte Castelo, Papanduva, Rio Negrinho, São Bento do Sul, São Francisco do Sul, São João do Itaperiú e Schroedér. Essa região metropolitana possui uma área de 10.830,62 km² e, de acordo com o censo do IBGE (2010), possui uma população de 1.094.570 habitantes, sendo a região metropolitana de Santa Catarina com a maior concentração industrial.

7. Região Metropolitana de Lagescriada pela Lei Complementar Estadual Nº 495 de 2010, seu Núcleo Metropolitano é composto pelos municípios de Lages e Correia Pinto, e sua Área de Expansão Metropolitana é integrada pelos seguintes municípios: Anita Garibaldi, Bocaina do Sul, Campo Belo do Sul, Capão Alto, Cerro Negro, Otacílio Costa, Painel, Palmeira, Ponte Alta, São José do Cerrito, Curitibanos, Frei Rogério, Ponte Alta do Norte, Santa Cecília, São Cristóvão do Sul, São Joaquim, Bom Jardim da Serra, Bom Retiro, Rio Rufino, Urubici e Urupema. A área dessa região metropolitana é de 19.090,739 km² e sua população de 350.607 habitantes (IBGE – 2010).

8. Região Metropolitana de Tubarãocriada pela Lei Complementar Estadual Nº 221 de 2002, foi extinta pela Lei Complementar Estadual Nº 381 de 2007 e reinstituída pela Lei Complementar Estadual Nº 495 de 2010. A Lei Complementar Estadual Nº 381 de 7 de maio de 2007, dispõe sobre o modelo de gestão e a estrutura organizacional da Administração Pública Estadual, altera a estrutura organizacional da Administração do Estado de Santa Catarina e define a criação das Secretarias de Estado do Desenvolvimento Regional. Desta forma, Tubarão passa a ser a sede de uma Secretaria de Estado do Desenvolvimento Regional, com abrangência dos municípios de Capivari de Baixo, Gravatal, Jaguaruna, Pedras Grandes, Sangão, Treze de Maio e Tubarão. A área dessa região metropolitana é de 4.542,988 km² e, segundo o censo do IBGE (2010), sua população é de 356.790 habitantes. O Núcleo urbano é composto pelos municípios de: Capivari de Baixo, Gravatal e Tubarão. A Área de Expansão Metropolitana é composta pelos seguintes municípios: Armazém, Braço do Norte, Grão Pará, Imaruí, Imbituba, Jaguaruna, Laguna, Orleans, Pedras Grandes, Rio Fortuna, Sangão, Santa Rosa de Lima, São Ludgero, São Martinho e Treze de Maio.

 

ECONOMIA

A economia catarinense se baseia na indústria (principalmente na agroindústria, têxtil, cerâmica e metal-mecânica), no extrativismo (minérios) e na pecuária. O estado de Santa Catarina é o maior exportador de frango e de carne suína do Brasil, sendo que a Brasil Foods, a maior empresa de alimentos do país, é catarinense. Entre as indústrias, sedia um dos maiores fabricantes de motores elétricos do mundo, a Weg (que se localiza em Jaraguá do Sul), um dos maiores fabricantes de motores elétricos, a Embraco (em Joinville), e também a maior fundição da América Latina, a Tupy (também em Joinville). Possuem grande expressividade as indústrias de eletrodomésticos (e metal mecânica em geral) no norte do Estado, com marcas de projeção nacional como a Consul e a Brastemp (ambas localizadas em Joinville).

Economia de SC

AGRICULTURA, PECUÁRIA E PESCA

O principal produto agrícola de Santa Catarina é o milho, cultivado no planalto basáltico, que fornece ração para a criação de suínos. Seguem-se a soja, o fumo, a mandioca, o feijão, o arroz (cultivado com irrigação nas várzeas da baixada litorânea e do Vale do Itajaí), a banana e a batata-inglesa. O estado é também um importante produtor de alho, cebola, tomate, trigo, maçã, aveia, cevada e uva.

A criação de bovinos se faz principalmente em campo natural, de maneira extensiva, e nas áreas florestais, em menor escala, com os animais submetidos a semi-estabulação. Nas áreas em que a agricultura é a atividade predominante, a criação se volta para os suínos, sobretudo no planalto basáltico, onde a produção de milho assegura ração adequada aos animais. A suinocultura experimentou grande progresso no estado, em virtude do desenvolvimento dos frigoríficos especializados no processamento de carne de porco, como a Seara, a Perdigão, a Sadia e a Aurora Alimentos. Houve ainda uma grande expansão na criação de aves. As matrizes dos principais frigoríficos do país se concentram no meio-oeste e oeste do estado. Santa Catarina é um dos maiores produtores de suínos do Brasil.

A pesca desempenha um importante papel na economia catarinense. O Estado é um dos maiores produtores de pescado e crustáceos do Brasil. A atividade, que remonta à origem açoriana da população, desenvolve-se sobretudo em Florianópolis, Navegantes e Itajaí.

 

EXTRATIVISMO

As riquezas vegetais e minerais concorrem decisivamente para o progresso produtivo do estado. Entre as primeiras destacam-se as reservas florestais, representada especialmente pelos pinheirais, apesar de sua intensa exploração, e os ervais, que permitem ao estado manter-se como grande produtor de erva-mate. O estado de Santa Catarina é um dos maiores produtores de papel e celulose do Brasil.
No extrativismo mineral, as ocorrências de carvão, principalmente nas áreas da baixada litorânea (Urussanga, Criciúma, Lauro Müller e Tubarão), representam fator importante para o desenvolvimento econômico regional. As condições de exploração do carvão mineral têm apresentado sensível melhoria, do ponto de vista técnico e dos equipamentos empregados. Santa Catarina possui ainda as maiores reservas brasileiras de fluorita e silex. Outros recursos minerais disponíveis são os depósitos de quartzo e grande ocorrências de argila cerâmica, bauxita e pedras semipreciosas, além de petróleo e gás natural na plataforma continental.

 

INDÚSTRIA

Os principais centros industriais de Santa Catarina são Joinville e Blumenau. O primeiro tem caráter diversificado, com fábrica de tecidos, produtos alimentícios, fundições e indústria mecânica. Blumenau concentra sua atividade na indústria têxtil, metal-mecânica e na de softwares, além da recente eclosão de cervejarias artesanais. No interior do estado, ocorrem numerosos centros fabris de pequeno porte, ligados tanto à industrialização de madeira quanto ao beneficiamento de produtos agrícolas e pastoris.
O nordeste do estado (eixo Joinville-Jaraguá do Sul) se destaca na produção de motocompressores, autopeças, refrigeradores, motores e componentes elétricos, máquinas industriais, tubos e conexões. No sul do estado (incluindo as cidades de Imbituba, Tubarão, Criciúma, Cocal do Sul, Içara e Urussanga), concentram-se as principais fábricas de cerâmica de revestimento do Brasil. O estado de Santa Catarina lidera a produção de louças e cristais no Brasil.

TURISMO

A imensa quantidade de paisagens e atrativos naturais promove, de forma significativa, o desenvolvimento do turismo no Estado. Além de oferecer ao visitante a oportunidade de conhecer a arquitetura e os costumes herdados dos imigrantes europeus. Em suma, essa atividade assume um papel fundamental na receita do Estado.

Mapa SC Roteiros Turísticos

Clique sobre os títulos abaixo para acessar os arquivos:

Geografia de Santa Catarina (PPT)

Apostila Geografia SC EEM Macário Borba (PDF)

Geografia de Santa Catarina – Apostila (DOC)

Simulado-Vestibular-Geo-Santa-Catarina – 25 questões (PDF)

SC Relatorio Estadual Sebrae (PDF)